Governo Federal lança plano de metas para migração total para IPv6 até 2018

5457.10266-IPv6

O governo federal anunciou que pretende fazer a total migração dos sistemas da administração pública para o protocolo de endereçamento na internet IPv6. O plano foi dividido em oito etapas que devem ter início em março do próximo ano – quando será realizada a primeira conexão à internet usando IPv6 ativa – para que até setembro de 2018 a migração esteja completa, prevendo metas semestrais para a mudança.

O estudo inicial sobre a mudança foi feito pela Secretaria de Logística e TI do Ministério do Planejamento com 55 órgãos do governo, entre ministérios, agências reguladoras, institutos e fundações, onde foi possível identificar que existem avanços na parte de infraestrutura, mas ainda há um déficit de capacitação, segundo o Convergência Digital.

“Mesmo tendo estruturas físicas e lógicas internamente preparadas em suas redes locais e aplicações, bem poucos órgãos possuem qualquer tipo de implementação do protocolo IPv6. O conhecimento e a qualificação dos profissionais para tratar com o protocolo são incipientes. Quase 90% dos órgãos participantes indicaram não possuir ações concretas”, diagnosticou o relatório final da Secretaria.

Devido a este problema identificado, a primeira fase do acordo consiste em cooperação técnica com a NIC.br. Até o final de 2014 serão treinadas quatro turmas, com um total de 160 servidores que posteriormente irão atuar como multiplicadores dos conhecimentos em outras áreas da administração federal. O objetivo é que se alcance níveis elevados de conhecimento técnico sobre o tema, garantindo a “tranquilidade dos gestores em TI em implementar as metas propostas”.

Mesmo com uma boa infraestrutura, também há mudanças previstas nesta área como: adequação de equipamentos de borda, switches, roteadores e firewalls. A área de estrutura lógica também ganha atenção com complementos em aplicações, servidores, e ferramentas de gerência e monitoramento da rede, além de mudanças em contratos com provedores de internet atuais.

Estes contratos poderão ser realizados por meio de contratações de links, ou mesmo adequados a partir de contratos já em vigor. Algumas estatais também vão fazer parte do plano, como Serpro, Telebras e Dataprev, que deverão ter uma participação mais ativa no projeto durante as três fases iniciais.

Segundo a Secretaria, “mesmo com o percentual reduzido de implementação em IPv6, mais de um terço dos órgãos já tem previsto em suas contratações do serviço de link de acesso à Internet corporativa a entrega de endereços IPv6 válidos”.

“O objetivo do plano é iniciar com sítios e provedores”, afirma Loreni Foresti, secretária de logística e TI. Segunda ela, será possível que todos os órgãos do governo façam as mudanças necessárias sem problemas graças ao plano estratégico desenvolvido.

Para conferir todos os passos de cada uma das oito etapas desenvolvidas para implementação do plano, clique aqui. Servidores podem oferecer sugestões ao projeto até o dia 15 de outubro.

Fonte: Canaltech