Crise não reduz expectativas para a Black Friday deste ano

Pesquisa realizada pelo Zoom com 20 mil pessoas revela que, embora os consumidores estejam mais receosos com o cenário econômico atual, a maioria das pessoas (71%) pretende comprar na Black Friday se encontrar bons descontos. Os demais entrevistados (28%) afirmaram não terem dúvidas de que comprarão e apenas 1% não tem intenção de aproveitar o evento, que este ano acontecerá no dia 27 de novembro.

Apesar de otimistas para a data, os consumidores estão cautelosos por se tratar de um ano em que o país enfrenta uma recessão. Por conta disso, 66% dos entrevistados avaliarão se irão gastar menos por conta da crise dependendo dos descontos que encontrarem, já 30% deles pretendem efetivamente pisar no freio nas compras e apenas 4% afirmam não terem a intenção de diminuir os gastos esse ano.

O atual cenário de alta do dólar e dos juros faz com que os consumidores passem a pesquisar ainda mais os preços e 91% dos entrevistados disseram que utilizam comparadores de preços e produtos para facilitar essa tarefa. Apesar de mais precavidos, a maioria aposta nas promoções da Black Friday, sendo que 49% tem a expectativa de encontrar melhores ofertas no evento do que nas liquidações fora de época que o varejo tem realizado para combater a crise. Outra perspectiva otimista para o evento é de que 64% das pessoas gostariam de antecipar suas compras de Natal.

Por tudo isso, a expectativa de tíquete-médio para a data continua a mesma do ano passado, pois 57% dos respondentes da pesquisa do Zoom têm intenção de gastar mais de R$ 1.000 e 27% pretendem investir de R$ 500 a R$ 1.000. Os produtos mais desejados são celulares/smartphones (57%), TVs (43%), eletrodomésticos (33%), eletroportáteis (29%) e notebooks (27%).

Outra constatação importante do estudo é que cada vez mais a Black Friday ganha força no Brasil, pois 64% das pessoas afirmam realmente ter encontrado descontos significativos nos produtos que desejavam na edição passada. Além disso, 40% dos consumidores estão confiantes de que esse ano também encontrarão boas ofertas. Para os entrevistados, a data tem uma relevância ainda maior no comércio eletrônico, pois a grande maioria (85%) acredita encontrar descontos melhores nas lojas online do que no varejo físico. Isso porque a internet é o principal aliado do consumidor para pesquisar preços.

Além disso, a confiança dos consumidores no e-commerce também aumentou e 84% dos entrevistados afirmam ter segurança sobre o recebimento do produto comprado dentro do prazo acordado com a loja. Além disso, com o aumento do uso de comparadores de preços e produtos as pessoas estão mais conscientes sobre recursos gratuitos de apoio à compra. Dos entrevistados, mais de 75% já conhecem o serviço gratuito Zoom Garante, que assegura aos clientes o recebimento do produto comprado nas lojas parceiras ou o dinheiro de volta.

– A Black Friday ganhou muita maturidade na edição passada e isso fez com que a confiança dos brasileiros sobre a relevância das promoções crescesse expressivamente. Para o varejo, o evento desse ano tem ainda mais peso, já que será a oportunidade dos lojistas liquidarem seus estoques, uma vez que o ritmo de crescimento do e-commerce desacelerou no primeiro semestre desse ano – analisa Thiago Flores, diretor-executivo do Zoom.

Metade dos brasileiros gasta, em média, até R$ 150 por mês em games

Segundo outra pesquisa, esta do Busca Descontos para o Brasil Game Day e intitulada “A Intenção de Compra dos Gamers no Brasil”, 48% dos usuários brasileiros gastam, em média, até R$ 150 por mês em jogos. Destes 48%, 31% consomem de R$ 50 a R$ 100, enquanto 17% ocupa a faixa de R$ 101 a R$ 150. Além disso, 24% dos entrevistados disse gastar em média, entre R$ 51 e R$ 100 por mês com games e 7% até R$ 50 mensais.

Apesar de revelar o costume de comprar em média até R$ 150 por mês em jogos, o estudo também mostra que para o Brasil Game Day, maior ação de games prevista para o dia 24 de setembro, 35% dos usuários está disposto a gastar mais de R$ 200 em títulos em apenas um dia.

– O cenário econômico atual tem sido um fator para que muitos brasileiros não consumam em determinadores setores. O comércio eletrônico contudo, é uma exceção que tem alcançado um crescimento inesperado. Prova disso é que o gamer brasileiro ainda gasta um tíquete médio considerável por mês e, está disposto a aproveitar descontos para ultrapassar esse valor no Brasil Game Day – comenta Patricia Soderi, diretora de Novos Negócios do Busca Descontos.

Sobre o local favorito para fazer compras, o ambiente virtual já é unanimidade entre os usuários. Dos entrevistados, 48% disse preferir os e-commerce’s; 20% as próprias lojas de desenvolvedores e 6% os sites estrangeiros. As lojas físicas somam apenas 21% de representação.

Em relação às categorias de jogos, 30% dos entrevistados disse preferir Aventura, seguido por RPG (22%), esportes (20%) e simulação (17%). Já quando questionados sobre títulos, os três jogos mais esperados para 2015 são Metal Gear V: The Phantom Pain (23%), The Witcher 3 (15%) e Fifa 2016 (14%).

O estudo foi feito de 11 a 17 de setembro, com 2.678 respondentes, sendo destes, 92% do sexo masculino e 8% do feminino. A maior parte dos entrevistados possui de 26 a 35 anos (46%), seguido pela faixa etária de 21 a 25 anos (24%), 16 a 20 anos (11%), 36 a 40 anos (10%) e acima de 40 anos (9%).