comércio eletrôrnicoPesquisa da Federação do Comércio de São Paulo (Fecomércio) revela que os internautas confiam cada vez menos em navegar na rede. Apenas 56% deles usam o comércio eletrônico. O medo de que os dados sejam roubados é o principal motivo para não fazer compras pelo computador.

De acordo com o estudo, que ouviu mil pessoas na capital paulista, 48,8% dos usuários de internet acreditam que seus dados pessoais são repassados sem autorização. Em 2012, 48% deles não confiavam a guarda de dados aos sites. Este ano, o número subiu para 72%.

Há bons motivos para toda essa desconfiança. O estudo mostra que 17,9% dos entrevistados já foram vitimas ou têm parentes vítimas de crimes eletrônicos. Em 2012, o total era de 12,7%.

O crime eletrônico mais comum em 33,5% dos casos foi a clonagem do cartão de crédito, seguido do uso de dados pessoais, em 17,3% dos casos. Entre os entrevistados, 86,4% têm medo de sofrer fraudes e ataques de hackers e 65,4% tem algum programa anti-fraudes e invasões.

Embora 56% das pessoas comprem pela internet, 60,4% delas não lêem os contratos de adesão dos sites. “Como na vida real, se você vai para um lugar desconhecido, você procura saber se é perigoso ou não, na internet é a mesma coisa. Não dá mais pra fugir, a gente tem que utilizar a internet e essas ferramentas pra fins pessoais e profissionais. Tomando essa cautela, você se protege um pouco mais”, afirma Rony Vainzof, coordenador da pesquisa.

Com informações de G1/Jornal Hoje