No final de julho deste ano, o Google divulgou mais uma novidade para o Gmail: Uma nova versão da caixa de entrada, que organiza as mensagens recebidas por categoria, como ilustra a imagem abaixo:

gmail121

Embora esta nova versão não tenha sido liberada para todos os usuários, em pouco tempo já podemos notar mudanças significativas na taxa de abertura do e-mail marketing.

Logo no início do lançamento, algumas empresas notaram uma queda na taxa de abertura e, por isso, questionou-se sobre os benefícios (ou não) desta atualização.

Segundo o estudo sobre as novas abas do Gmail, divulgado pela Return Path, alguns dias após este lançamento o oposto aconteceu: Usuários engajados começaram a abrir mais os emails! Estes usuários altamente engajados estão abrindo 60% mais mensagens, comparando com o mesmo perfil antes da implementação das abas. Já os usuários não engajados, isto é, os que não costumavam abrir e clicar em todas as mensagens enviadas por determinada empresa, nestes casos as taxas de aberturas caíram cerca de 10%.

[sam id=”4″ codes=”true”]

Sendo assim, apenas em casos de usuários com menor ou nenhum engajamento, a taxa de abertura caiu. Pois o usuário que demonstra interesse em ler seu email vai busca-lo entre as abas, pois sua marca e mensagem são relevantes para ele.

É importante ressaltar que toda mudança gera alteração na taxa de abertura, se levar em conta nossa experiência particular em nos adaptar com algumas alterações, seja qual for a aplicação. Não é mesmo? Com os usuários cadastrados em sua lista de e-mail não é diferente, o movimento natural é uma pequena alteração na taxa de abertura. Mas não abandone os relatórios e avalie as métricas. Sempre compare um período com outro. Se sua taxa de abertura no Gmail caiu e se manteve ou então, está em constante queda, fique atento! É preciso reavaliar suas estratégias de envio para este público.